Connect with us

Destaque

Aliado de velhos corruptos, MBL promete protesto hoje na Fonte Nova

Postado

em

 

Aliados de velhos corruptos do país, membros do Movimento Brasil Livre (MBL) prometem protesto contra o ex-presidente Lula, que visita hoje Salvador como parte da Caravana “Lula pelo Brasil”. Desde quando ganhou notoriedade, o MBL tem se mostrado bastante seletivo na organização de mobilizações para “defender” o país. Nos momentos cruciais, como as recentes denúncias de corrupção passiva apresentadas pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer, não se percebeu nenhuma movimento do grupo em sua bandeira predileta da luta anti-corrupção.

MBL foi um dos fervorosos defensores, junto com a Fiesp, da derrubada da ex-presidente Dilma. Sob Temer, mesmo com anúncios de reajuste de gasolina, ameaças de correção na tabela do IR, o MBL se recusa a criticar o governo

No início do segundo mandado de Dilma, os membros do MBL eram vistos marchando lado a lado com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. No ano seguinte, o mesmo Cunha iria ser preso, em outubro de 2016, e condenado a 15 anos e quatro meses de prisão pela Operação Lava Jato.  Dentre os processos que responde está a acusação do Ministério Público Federal (MPF) de receber propina em contrato da Petrobras para a exploração de petróleo no Benin, na África.

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS – Já Temer, que salvou-se da investigação pedida pela PGR recentemente em votação na Câmara dos Deputados, foi denunciado pela PF por obstrução da Justiça e pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, por corrupção passiva. No mês de abril, o ex-deputado e assessor da presidência, Rodrigo Rocha Loures, foi filmado saindo de um restaurante em São Paulo com uma mala que continha R$500 mil reais. De acordo com a PGR, essa quantia se destinava à Michel Temer como pagamento de propina da JBS (que fechou acordo de delação premiada).

Card que circula pela rede social WhatsApp. Assinado pelo núcleo baiano do Movimento, o MBL local não protestou contra Geddel Vieira Lima, preso e encaminhado para o presídio da Papuda, em Brasília

E não para por aí. O MBL também se manteve próximo ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, que cumpre prisão domiciliar sem as tornozeleiras eletrônicas. Velha raposa da política, Geddel está sendo investigado pela operação “Cui Bono” da PF, que identificou fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal entre 2011 e 2013, além de ser citado também nos áudios de denúncia feita pelo empresário Joesley Batista.

 

 

 

Comentário do Facebook

Bahia

PROTESTO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

Publicado

em

Neste momento nas ruas do comércio, os professores da rede Municipal de Ensino, protestam por melhorias salarias. Adata base para o reajuste salarial é maio e desde abril a APLB-Sindicato, entidade representativa da categoria, entregou a pauta de reivindicações e foram realizadas várias reuniões entre o Executivo Municipal e a direção da APLB. Entretanto, como nenhuma resposta positiva foi apresentada, não restou alternativa, senão a greve!

 

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

Professores e vereadores vão ao MP-BA pedir apoio para solucionar  greve

Publicado

em

Líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador, a vereadora Marta Rodrigues (PT) participou, na tarde desta terça-feira (31), de uma reunião entre a promotoria do Grupo de Atuação em Defesa da Educação do MP-BA, o comando da greve dos professores, a direção da APLB-Sindicato  e a comissão suprapartidária formada por vereadores de Salvador, da qual ela faz parte. O vereador Hilton Coelho (PSOL) também esteve presente, assim como os diretores da APLB, Elza Melo, MArcos MArcelo , Flavia Ribeiro e Rose Aleluia,  além de representantes do Comando de Greve.

Na ocasião, se debateu junto à Promotoria, com o promotor Jose Vicente, formas de solucionar o impasse da greve dos docentes municipais, que há mais de vinte dias, tentam obter, junto à prefeitura de Salvador, o reajuste salarial previsto por lei, além de  melhores condições de trabalho e de estrutura para os estudantes.

“A greve já chega há mais de vinte dias e o prefeito se nega a sentar e atender o pleito dos professores. Os estudantes da rede municipal estão sem aula, pois os professores não tem como trabalhar diante da situação precária em que se encontram as escolas do município”, frisou Marta.

Segundo ela, o prefeito precisa pensar nas crianças e adolescentes que necessitam da educação da rede municipal. “Ele tenta partidarizar a greve, quando na verdade os professores estão preocupados mesmo ê com a qualidade do ensino aos estudantes. A falta de investimento do prefeito na educacao levou a uma situação que os professores não tem mais como dar aula. Reajuste zero, condições precárias, eles ficam impossibilitados de dar aula dessa maneira” disse.

Marta reforçou, ainda, que a greve só foi deflagrada após a recusa  do prefeito.  “Os pais e mães dos alunos estão do lado dos professores porque eles convivem com a realidade das escolas. A greve é por uma educação municipal de qualidade”.

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

Justiça absolve Geddel do crime de obstrução de Justiça

Publicado

em

O juiz Vallisney de Souza, da Justiça Federal de Brasília, absolveu por falta de provas o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA) da acusação de obstrução de Justiça.

Após a decisão, a defesa de Geddel divulgou uma nota (leia a íntegra ao final desta reportagem) na qual afirmou que a absolvição “estabelece a verdade e faz justiça” ao ex-ministro.

Atualmente preso em razão de outro processo, Geddel virou réu em agosto de 2017 após ter sido acusado pelo Ministério Público Federal de tentar atrapalhar investigações sobre desvios no fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Em julho do ano passado, o ex-ministro da Secretaria de Governo chegou a ser preso, por decisão de Vallisney de Souza, em razão das suspeitas de que atrapalhava o andamento das investigações da Operação Cui Bono.

Entenda o caso
Segundo o Ministério Público, diante das negociações do operador financeiro Lucio Funaro para fechar acordo de delação premiada, Geddel passou a atuar para atrapalhar as negociações.

O ex-ministro do presidente Michel Temer fez, conforme o Ministério Público, contatos telefônicos com a esposa de Lúcio Funaro, Raquel Albejante Pita, na intenção de ameaçá-la.

 

Comentário do Facebook
Continue lendo

TV Lampião

Facebook

Mais acessados