Connect with us

Brasil

Apesar da Internet, esquerda sofre massacre na comunicação

Postado

em

Por Jadson Oliveira – jornalista/blogueiro baiano

A direita tem uma hegemonia esmagadora nos meios tradicionais de comunicação de massa. E é majoritária, embora com disputa, nos digitais, cuja influência é crescente. A esquerda precisa não só da democratização da mídia, mas duma rede de informação contra-hegemônica.

 

De Salvador-Bahia – Na semana passada foi divulgada uma pesquisa do Ibope dando conta de que 36% dos eleitores brasileiros apontam que a Internet/redes sociais terão “muita influência” na escolha do presidente da República em 2018.

Enquanto no caso da mídia tradicional (TVs, rádios, jornais e revistas), dá quase o mesmo percentual: 35%. A vantagem para a Internet é que sua influência é crescente e os percentuais se distanciam quando são consultados os jovens: entre os de 16 a 24 anos, os números são 48% x 41%.

Sites da blogosfera progressista, divulgando a matéria do Estadão assinada por José Roberto de Toledo, deram o título ‘Internet terá mais influência que a Globo em 2018’.

Claro que a pesquisa traz outros quesitos e outros percentuais (link abaixo para a matéria). Mas o que me interessa mesmo é discutir tais números com referência à esquerda (ou às esquerdas), especialmente levando em conta a posição massacrante dos monopólios da mídia tradicional, em especial a Globo.

Porque me parece que há a ilusão entre as esquerdas (e/ou centro-esquerda) de que “muita influência” dos meios digitais significa maior influência das forças à esquerda.

Não é assim. Me atrevo a dizer que é o contrário. No que pese o combate travado no dia-a-dia pelos “guerrilheiros” da blogosfera progressista e das redes sociais.

A direita tem muito mais força na Internet do que as esquerdas. Além dos seus também “guerrilheiros” e dos grandes portais dos veículos da imprensa hegemônica (G1, UOL, etc), tem dinheiro à vontade para manejar “exércitos” de “militantes” contratados, com nível sofisticado de profissionalização.

No caso, o exemplo mais conhecido numa campanha eleitoral aqui na América Latina é a do presidente argentino Mauricio Macri. Seu badalado marqueteiro – o “guru” equatoriano Jaime Durán Barba –, dirigindo um grupo de 300 contratados, através de extensa pesquisa e monitoramento do eleitorado, contribuiu, talvez decisivamente, para o resultado do pleito.

Conforme analistas, tal metodologia – com modernos instrumentos da Tecnologia da Informação (TI) e considerada “revolucionária” -, foi utilizada também na vitória de Donald Trump nos Estados Unidos.

Então, creio que os 36% de “muita influência” da Internet/redes sociais acabam levando mais água ao moinho da direita.

Talvez a ilusão da esquerda, ao enxergar o contrário, seja vitaminada pela hegemonia quase total da direita nos meios tradicionais: TVs abertas e por assinatura, todas as rádios, todos os jornalões e três das quatro revistas semanais.

O domínio da direita é tão avassalador nas mídias tradicionais – segundo a pesquisa, 35% de “muita influência” – que o fato da esquerda ter um certo poder de fogo (minoritário) nas digitais gera um distúrbio de visão.

Entre parênteses:

Não confundir com a conjuntura atual, transitória, na qual esses meios hegemônicos de comunicação de massa estão divididos diante do ‘Fora Temer’, porque os verdadeiros donos do poder, que comandam das sombras – em especial o capital financeiro – estão da mesma forma divididos.

Divisão que chega aos seus tentáculos mais visíveis: além da mídia, Congresso (partidos) e Judiciário. Divisão que reside na incerteza quanto à capacidade do governo Temer de bancar as contrarreformas trabalhista e da Previdência.

Ou seja, os golpistas não conseguiram chegar ainda a um consenso no ‘Fora Temer’. Mas no
tocante às esquerdas (e/ou centro-esquerda, inclusive e sobretudo o PT e Lula), eles se unem sem dificuldades.

Conclusão:

Daí que, voltando a bater na minha tecla de sempre, a esquerda precisa lutar pela construção duma mídia contra-hegemônica, como fizeram governos progressistas e movimento popular da Argentina (no tempo de Cristina Kirchner), Venezuela, Bolívia e Equador. Mesmo agora, depois do golpe, em condições muito mais difíceis. É uma das condições para ter chances de lutar, de verdade, contra a corrupção, e pelas verdadeiras reformas, inclusive a democratização da mídia.

Link da matéria ‘Internet terá mais influência que a Globo em 2018’:

Comentário do Facebook
Continue lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

O fenômeno Lula

Publicado

em

As pesquisas apontam. O mundo reconhece. Os brasileiros imploram. É emocionante falará do cara que virou ideia: O Lula.

Após 4 meses preso político o homem-ideia passa através das frestas das grades e faz o maior estardalhaço na recente história política do país. Se a boca não pode falar; a voz não pode ser ouvida, a imagem não pode ser vista e o cheiro não consegue ir tão longe. O que faz Lula crescer 9 pontos percentuais, conforme as pesquisas, após 120 dias trançados?
Se quem ao arrepio da lei imaginou que prendendo incorporar a ideia de apagaria, fez as contas erradas.

Mesmo com o Programa de Governo mais corajoso das eleições petistas, alinhado com o Desenvolvimento integral do país e com a inclusão de parcela considerável que ainda não faz parte da nação brasileira e retomada do desenvolvimento visto na era petista e a apresentação de reformas de base estruturantes; mesmo assim entre os ricos,, Lula amplia o seu eleitorado de 14% para 20%.no geral passa 30 para 39% no geral é, com a perspectiva de transferência de votos que já coloca seu apoiado no segundo turno das eleições. Mais ainda. Faz o PT ser, de longe partido mais querido do Brasil.

Estamos diante de um fenômeno que embolou a mente dos algozes que fizeram da comunicação uma partida de futebol marrada pelo locutor que torce para o time que perde; de um judiciário que assume publicamente sua opção política, quando a isonomia deve ser um princípio é de um mercado mambembe, que de tudo se faz (chantageia a população, faz análises e notas tentando desqualificar), mas o povo segue o Lula. Os mais atentos já sabem. Lula já ganhou na política ganhará nas urnas. Ganha o Lula ou que ele indicar. Pois, contra fatos tem havido muitos argumentos, mas o povo brasileiro tem argumentado mão forte ainda em favor dos fatos. Lula é um fenômeno.

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

PROTESTO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

Publicado

em

Neste momento nas ruas do comércio, os professores da rede Municipal de Ensino, protestam por melhorias salarias. Adata base para o reajuste salarial é maio e desde abril a APLB-Sindicato, entidade representativa da categoria, entregou a pauta de reivindicações e foram realizadas várias reuniões entre o Executivo Municipal e a direção da APLB. Entretanto, como nenhuma resposta positiva foi apresentada, não restou alternativa, senão a greve!

 

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB): Água e energia não são mercadorias!

Publicado

em

Trabalhadores percorreram as ruas da cidade de Boninal em marcha denunciando as ameaças que vem sofrendo e realizaram uma Audiência Pública

No dia 24 de julho atingidas e atingidos pela Barragem de Baraúnas/ Vazante realizaram marcha e Audiência Pública no município de Boninal (BA) para denunciar as violações dos direitos humanos que vêm sofrendo.

Atingidas e atingidos organizados pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) percorreram as ruas da cidade de Boninal em marcha denunciando as ameaças que vem sofrendo, a judicialização do processo contra os atingidos e as baixas propostas de indenização feita pela empresa.

“Eles dizem que a gente não produz na terra e que se não saímos da terra vão chamar a Polícia Federal para tirar a gente como que a gente fosse bandido, aqui não tem bandido, somos trabalhador, olha minhas mãos que é puro calo, foram elas que deram sustento pra minha família e agora querem tirar tudo” se indigna Dona Joana Rita.

A barragem que pretende aumentar a disponibilidade hídrica na região, está sendo construída pela Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB) e atingi os municípios de Seabra e Boninal na Chapada Diamantina. A obra é executada pelo estado da Bahia através Secretaria de Infraestrutura Hídrica (SIHS) em parceria com o Governo Federal por meio do Ministério da Integração Nacional e está estimada em quase R$ 100 milhões.

A Audiência Pública realizada na Câmara de Vereadores de Boninal foi convocada pelo Vereador Zequinha de Oliveira, e teve a participação do Deputado Estadual Marcelino Galo, membro da comissão de Direitos Humanos e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia; Doutora Ana Carolina da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA); Godofredo Lima representando a Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB); Professor Lauro vereador do município de Seabra e representante da comunidade quilombola da Vazante, atingida pela Barragem; Moisés Borges e Eripes Ribeiro pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

“Defendo que haja um diálogo aberto entre as partes, e que a barragem de Baraúnas, que trará benefícios para a população da região da Chapada Diamantina, não seja um entrave para a manutenção dos modos de vida e economia dos pequenos agricultores. Não podemos permitir que crianças, idosos, jovens e famílias inteiras sejam remanejadas para um espaço sem a devida estrutura que necessitam” afirmou o Deputado Estadual Marcelino Galo.

O ato ainda contou com a solidariedade dos vereadores de Boninal, Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município e organizações parceiras como Sindicato dos Trabalhadores em Água, Saneamento e Meio Ambiente (SINDAE) através de Danilo Assunção e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Elisângela Araújo.

“Queremos um processo de negociação coletiva, é inadmissível a CERB mover uma ação judicial contra duas famílias em uma iniciativa clara de individualizar e criminalizar as negociações. Queremos indenização justa, reassentamento rural como forma de reposição pelos danos causados, assim como garantias de infraestrutura, produção e trabalho, que dê condições de vida adequada para o início de uma nova vida” concluí Moisés Borges do MAB.

Com informações: Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)

 

Comentário do Facebook
Continue lendo

TV Lampião

Facebook

Mais acessados