Connect with us

Bahia

Centro da produção industrial, Camaçari vai parar nesta sexta

Postado

em

Marcell Benedek

Centro da produção industrial na Bahia, a cidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, vai ser um dos palcos no dia de amanhã de uma das mais promissoras greves gerais da história recente do Brasil. Segundo levantamento da TV Folha, a maior greve geral realizada no Brasil ocorreu durante o governo Sarney, em 1989. Há exatos 100 anos, ocorria a primeira greve geral em terras brasileiras, que evoluiria para uma greve de caráter insurrecional com grande guerra de rua entre trabalhadores e forças repressoras. Era 1917 e o mundo acompanhava com curiosa expectativa os desdobramentos daquela que seria a maior revolução de trabalhadores da história mundial: a revolução russa liderada por Lenin.

Seria dessas primeiras manifestações de caráter radicalizado que estouraram no Brasil que os trabalhadores iriam começar a obter suas primeiras conquistas. Da regulamentação da jornada de trabalho ao salário mínimo (abaixo do qual ninguém poderia ganhar), do direito à aposentadoria ao direito a férias remuneradas, 13º salário, dentre outros, muitos combates entre trabalhadores e patrões foram travados. Hoje, cem anos depois, a consagração do conjunto dessas conquistas na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) sofre o mais grave ataque desde a sua promulgação, em 1943. A cereja do bolo é a proposta que estabelece que o “acordado” entre as partes prevalece sobre o legislado (a CLT). Ora, como todos sabem que essas relações nunca se dão num terreno de igualdade (“ou o trabalhador aceita as condições, ou a vaga é destinada a outro”), se for instituída, tal proposta praticamente sacramenta o fim da CLT. Junto com a terceirização total e irrestrita, será um caos para os trabalhadores! A Reforma da Previdência, que eleva a idade mínima da aposentadoria para 65 anos, termina de aniquilar todas as conquistas históricas obtidas com muito sacrifício ao longo de anos pelo conjunto da classe trabalhadora.

A greve geral de amanhã, portanto, poderá ser o primeiro recado ao governo golpista e ilegítimo de Michel Temer e seus aliados, tal como o prefeito de Salvador, ACM Neto. Diversas categorias nas mais diversas áreas já anunciaram adesão ao movimento paredista: no âmbito da produção, indústria petroleira, química, metalúrgicos, construção civil; nos transportes, rodoviários, condutores, trens, metrô; comércio, serviços (correios, profissionais da saúde), educação, bancos, serviços da administração pública federal, estaduais e municipais, imprensa, todas as categorias que fazem todas essas áreas funcionar, irão cruzar os braços a partir da meia-noite desta sexta, 28.

 

Se você também é trabalhador, não deixe de participar!

 

Além de Camaçari, em Salvador, os protestos ocorrerão às 7h da manhã no Iguatemi e a partir das 15h no Campo Grande. Às 19h, haverá um ato final no tradicional bairro do Rio Vermelho.

Comentário do Facebook
Continue lendo
Click para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

AO VIVO: #DiálogosCapitais – Curitiba/PR: Bancos públicos sob ataque: desafios, riscos e perspectivas

Publicado

em

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

RIO “ATERRADO” NO ITAIGARA

Publicado

em

Máquinas do deputado João Gualberto, dono do Hiper ideal, que comprou terreno público vendido por ACM Neto, aterraram ontem, 5, um dos rios que passa pelo Itaigara, cometendo assim um grande crime ambiental. Esse povo não vai aprender nunca com as tragédias ambientais. Por onde as águas daquele bairro vão escoar em caso de enchentes?

Via Messias Lula da Silva

Comentário do Facebook
Continue lendo

Bahia

LANÇAMENTO DO LIVRO PARA ONDE VAI A POLÍTICA BRASILEIRA?

Publicado

em

PARA ONDE VAI A POLÍTICA BRASILEIRA?
BREVE ENSAIO SOBRE A CRISE DE REPRESENTAÇÃO E O PÓS-IMPEACHMENT

O público interessado em entender o país encontrará no livro Para onde vai a
política brasileira? perguntas e respostas instigantes sobre os últimos acontecimentos
que marcam a crise política atual. As manifestações de junho de 2013, a Operação
Lava Jato, as eleições presidenciais de 2014, os protestos antipetistas de 2015 e o
impeachment da presidenta Dilma Rousseff são narrados de forma meticulosa pelo
autor, apresentando informações de bastidores e o que foi debatido pela imprensa,
dando um caráter objetivo e factual às análises apresentadas ao longo da obra. Tratase
de um jovem cientista político, professor e pesquisador baiano com vasta presença
em palestras, conferências, escritos em jornais, blogs e redes sociais, que oferece
novos pontos de debate sobre a política, em especial, sobre os rumos da esquerda
brasileira e do lulismo, enquanto fenômeno de representação eleitoral nos últimos
anos. Ao dialogar com os fatos, o autor oferta ao público leitor análises para quem não
vivencia a vida acadêmica e tem como ponto forte o intenso diálogo com outras obras
lançadas nos últimos anos no calor da crise política brasileira.

A escolha do autor pelo tema do livro acompanha a sua trajetória de cientista
político: busca lançar luzes sobre o futuro da política democrática no país e as raízes
das disputas societárias que não serão facilmente capturadas por uma
representatividade do sistema político decorrente das eleições de 2018. A política
brasileira tem um encontro marcado nos próximos anos com a sua definição de
república e democracia dentro do sistema político e pelas ruas do país.

O leitor ou a leitora encontrará nas páginas deste livro uma ampla
reconstituição dos fatos políticos dos últimos anos, uma viagem sobre a crise política
brasileira em diálogo com o que virá pela frente: teremos um avanço da democracia
com a construção de um novo pacto de classes, assim como fez o varguismo e o
lulismo? Ou estaremos diante de um retrocesso que fragiliza a nossa democracia e a
sociedade civil ao ponto de criarmos perigos autoritários enquanto uma armadilha
civilizatória consonante com o nosso passado colonial? Para onde vai a política
brasileira?

AUTORES
Cláudio André de Souza – Graduado, mestre e doutor em Ciências Sociais
pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Cláudio André de Souza é professor de
Ciência Política da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia AfroBrasileira
(UNILAB), campus dos Malês (BA) e professor colaborador do Programa de
Pós-Graduação em Políticas Sociais e Cidadania da Universidade Católica do Salvador
(UCSAL). Atualmente pesquisa temas relacionados à democracia, partidos políticos,
representação, participação, protestos e movimentos sociais.

 

SOBRE A EMPRESA
Localizada na cidade de Curitiba, Paraná, a Editora Appris, conta com
aproximadamente sete anos de existência. A empresa atua no ramo de publicação de
obras técnicas e científicas nas mais variadas áreas do conhecimento. Com a
experiência de seus editores, que estão há mais de 27 anos no mercado editorial, a
Appris possui um catálogo com mais de 2 mil obras publicadas e, número esse que
cresce com uma média de 60 lançamentos por mês.

CONTATO
Empresa: Appris Editora & Livraria;
Departamento: Comunicação e Marketing;
Responsável pelo Departamento: Sara Coelho
E-mail: marketing@editoraappris.com.br, Telefone: (41) 3156-4731

Comentário do Facebook
Continue lendo

TV Lampião

Facebook

Mais acessados